terça-feira, 31 de julho de 2012

Fumaça admite novo Médico de Esquadrão

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

                        Fotos: EDA 

Ten Novaes e Cap Cristiane

Ao final deste ano de 2012, a nossa Médica de Esquadrão, Capitão Médica Cristiane deixará a equipe Fumaça e seguirá sua carreira em uma nova unidade da Força Aérea.
Após oito anos empenhada em cuidar da saúde dos fumaceiros, a “Doc”, como é habitualmente chamada, completou o período determinado para os oficiais dessa especialidade no efetivo da Fumaça e passará a desempenhar sua atividade no Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA).
Assumirá seu posto o 1º Tenente Médico Antonio Carlos Novaes, escolhido em conselho operacional realizado entre os oficiais da equipe. O Ten Novaes atualmente exerce a função no 2º Esquadrão de Instrução Aérea da AFA e, a partir de 2013, será o novo “Doc” da Fumaça.
O Ten Novaes recebeu com surpresa e alegria a notícia de sua nova missão. Toda a equipe o parabeniza, desejando sucesso nessa etapa!

Cap Cristiane, Ten Novaes e Sgt Trapani
Recebendo os cumprimentos do fumaceiro SO Roberto
Fonte: Esquadrão de Demonstração Aérea | Esquadrilha da Fumaça 

Novo Ala Direita chega na Esquadrilha da Fumaça

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
                                                                      Fotos: EDA 
Tucanos da Fumaça interceptam o A-29 com o Ten Capuchinho

No dia 26 de jullho, o Ten Capuchinho, o mais novo #2 da Fumaça, pousou na Academia da Força Aérea (AFA) e foi recepcionado pela equipe fumaceira. Esta foi a primeira vez que o piloto encontrou os fumaceiros, depois de ficar sabendo da notícia de ter sido um dos escolhido para integrar a Esquadrilha.
Capuchinho serve, atualmente, no Esquadrão Joker, na Base Aérea de Natal, onde é instrutor de voo dos aspirantes aviadores da Força Aérea Brasileira e veio até Pirassununga à bordo da aeronave A-29. Próximo a AFA, foi interceptado por dois Tucanos da Fumaça e, já no solo, os demais integrantes foram dar as boas-vindas ao novo companheiro.
"É uma honra voltar à Academia, rever meus instrutores da época de cadete e saber que agora vou voar junto com eles." - disse logo ao sair do avião.
Para os próximos meses, o novo Ala Direita será transferido definitivamente para o Esquadrão de Demonstração Aérea e iniciará o treinamento das manobras e acrobacias da Fumaça.

Recebendo as boas-vindas do Cmte do EDA
Com oficiais do EDA
No avião de sua posição
Com parceiros de posição, Cap Arantes e Cap Marcelo

Fonte: Esquadrão Demonstração Aérea | Esquadrilha da Fumaça 

Novo Ala Esquerda inicia treinamento

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com


Fotos: EDA 
Cap Costa e Cap Boery

O Cap Costa, novo #3 que recém-ingressou na equipe da Fumaça, iniciou, no dia 25 de julho, o curso de Formação de Piloto de Demonstração Aérea.
O piloto fez seu primeiro voo com seu instrutor e parceiro de posição, o Cap Boery - Ala Esquerda que, durante o briefing, passou as orientações. Nessa primeira missão, Costa treinou  tráfego de emergência, retorno à pista em situações de pane durante voo de dorso, além de acrobacias específicas como trevo, cubano e velocidade zero.
"A sensação de decolar o T-27 da Fumaça pela primeira vez foi muito gratificante e emocionante! Começar  a ver o mundo de cabeça para baixo já nesta missão é algo indescritível. Senti-me orgulhoso de estar voando este avião com as cores da nossa Pátria e de agora pertencer a esta equipe!" - disse o Cap Costa, após o voo.
Todo o curso soma 72 missões que inicia com uma aeronave isolada e, conforme a evolução do treinamento, é somada uma, quatro e, finalmente, os sete aviões treinam junto.
Na fase inicial o novo fumaceiro terá instrução com todos os pilotos e, a partir da 28ª missão, na fase avançada, passa a treinar somente com seu instrutor de posição. O Cap André, da mesma posição, também participará da instrução. O Ala  Esquerda caracteriza-se por trabalhar constantemente com antecipação de motor, pois todos os giros e manobras são para cima do #3.

Cap Costa, Cap Boery e o Anjo da Guarda SO Robertson
Amarração ao assento ejetável
Cap Costa e Cap Boery se preparando para o táxi

Fonte: Esquadrão Demonstração Aérea | Esquadrilha da Fumaça 

Fumaça ganha música de Maycon Bianchi

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com



No ano em que a Esquadrilha da Fumaça completa 60 anos, o músico e fã Maycon Bianchi nos presenteou com uma bela música inspirada na evolução das acrobacias aéreas da demonstração. Em maio, Maycon apresentou sua obra aos pilotos que aprovaram a música. Agora, ela foi encaminhada ao Centro de Comunicação Social da Aeronáutica que, junto ao Centro de Documentação da Aeronáutica, estão verificando a viabilidade da obra passar a ser a música oficial da Esquadrilha da Fumaça.
Foto: Retirada da Internet 
O músico, que é guitarrista, violonista e compositor, sintetizou o sentimento do voo da Fumaça, musicando o trabalho dos fumaceiros de forma harmônica e precisa. Em sua composição, percebemos linhas que remetem ao hard rock progressivo dos anos 80 e 90, com pitadas de sintetizadores e a base instrumental clássica do genuíno rock´n roll, transmitindo toda a emoção de voo acrobático em formação.
Toda a equipe se sente honrada em inspirar artistas, agradece e parabeniza o amigo Maycon e a todos o que colaboraram com esse projeto.
Ouça a música neste vídeo com imagens do documentário Asas e Coração (Farol Filmes).
Fumaça... Já!
Conheça o autor:
Maycon Bianchi tem 25 anos e é natural de São Carlos/SP. Guitarrista, violonista, compositor, e professor de música, iniciou suas atividades como músico em 2002, passando por várias bandas de variados estilos: Rock, Blues, MPB, Jazz e Músicas Regionais. Formado em conservatório de música (MEC), atualmente é professor e coordenador do curso IG&T na Escola de Música Ad Libitum (Licenciada EM&T), na cidade de São Carlos e é endorse da mundialmente conhecida marca Boss, fabricante de equipamentos de áudio. Juntamente com os músicos Binho Russi (baixo) e Luciano Matuck (bateria), compõe o trio MAYCON BIANCHI & THE IMAGINARY BAND, apresentando-se com os trabalhos instrumentais "Tributo a Joe Satriani" e "Tributo a Grandes Mestres da Guitarra Mundial" (Vinnie Moore, Yngwie Malmsteen, Joe Satriani, Steve Morse, Shawn Lane, Steve Vai, Jimi Hendrix e Pepeu Gomes). Apresenta-se, também, com seu trabalho autoral (CD Instrumental) "Alquimia" (outubro/2010). Neste trabalho, Maycon faz um show diferenciado no intuito de difundir a guitarra rock no Brasil. O show mescla músicas chamadas técnicas com outras extremamente melódicas. Compôs a música "ESQUADRILHA DA FUMAÇA" (maio/2012) e participou de uma reportagem da EPTV (afiliada à Rede Globo na região de São Carlos) que entrevistou fãs da Esquadrilha da Fumaça que realizaram ou realizam algum trabalho de forma voluntária em homenagem à Instituição.
Para mais informações sobre o músico: www.mayconbianchi.com.br

Esquadrilha da Fumaça realiza palestra para futuros oficiais.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com


Fotos: EDA 

Na manhã do dia 23 de julho, o Cap Franklin, #7, ministrou uma palestra sobre a Fumaça para os 158 estagiários do Estágio de Adaptação de Oficiais Temporários (EAOT), no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), em Belo Horizonte/MG. Os estagiários fazem parte da Turma Falcão e desde o início de junho estão realizando o curso que forma os oficiais do Quadro Complementar da Aeronáutica (QCOA).
A palestra teve como objetivo explicar o que é a Esquadrilha da Fumaça, sua razão de ser, história, missão e o funcionamento do Esquadrão. A maioria dos estagiários já assistiu a uma demonstração, porém não conhecia a fundo as particularidades da equipe, o que tornou o evento uma ótima oportunidade para esclarecerem suas dúvidas. A nossa oficial de Relações Públicas, Ten Josiana, que fez o mesmo curso em 2007, também participou da palestra e conversou com os futuros oficiais sobre como é servir na Força Aérea Brasileira (FAB), em especial na Fumaça. Após o encerramento, todos tiveram a aportunidade de conhecer o nosso avião T-27 Tucano.
A Turma Falcão ingressou na FAB por meio de consurso público que exige formação superior em áreas diversas. Na Turma há formados em serviços jurídicos, administração, comunicação social, análise de sistemas, psicologia, entre outras áreas. O curso de adaptação ao oficialato tem duração de 13 semanas. Ao se formarem, são promovidos a 2º Tenentes e vão atuar na própria especialidade em uma das unidades da FAB, podendo permanecer até nove anos.
As inscrições para a turma de 2013 estarão abertas a partir de 30 de julho. Para mais informações acesse www.ciaar.com.br

Fonte: Esquadrão de Demonstração Aérea | Esquadrilha da Fumaça 

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Esquadrão Poti (2º/8º GAV) celebra 39 anos

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com                                  Fotos: 2º/8º GAV 
O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Juniti Saito, inaugurou nesta sexta-feira (27), na Base Aérea de Porto Velho, em Rondônia, a segunda parte das instalações do Segundo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (2º/8º), que completa, neste mês de julho, 39 anos. Depois da cerimônia militar que marcou o aniversário do Esquadrão, foram entregues seis hangaretes, um hagar central com dois anexos, além do prédio do simulador, pátio e estacionamento.  “É mais um passo para o processo de implantaçao do AH-2 Sabre na Amazônia Ocidental” disse o Comandante do Esquadrao Cláudio Wilson Saturnino Alves.
Em 2009, o Esquadrão iniciou o processo de mudança da sede de Recife para Porto Velho e também o treinamento para receber os primeiros helicópteros de ataque da Força Aérea Brasileira. O Sabre é o helicóptero com a maior capacidade de armamento utilizado hoje pela FAB. O modelo inclui um canhão em torreta na proa da aeronave com capacidade de tiro em diferentes direções. Conta ainda com a possibilidade de emprego de foguetes e mísseis.
O 2º/8º GAV tem como foco as missões voltadas para o emprego no combate, além de ser um elo da Defesa Aeroespacial Brasileira. É um meio de pronta-resposta da FAB nas fronteiras amazônicas. Em junho, o Sabre também participou da operação de segurança na Conferência Rio+20.
Presente ao evento, o Comandante do Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), Tenente-Brigadeiro  Nivaldo LuizRossato,  confirmou que, no primeiro semestre do ano que vem, chegam os três últimos modelos de um total de 12 helicópteros adquiridos, além de um simulador.
As instalações do Esquadrão Poti foram projetadas, licitadas e fiscalizadas pela Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA), organização da FAB responsável por construir e equipar aeródromos, prioritariamente na região amazônica.
A placa de inauguração foi decerrada pelo Comandante da Aeronáutica, acompanhado pelos Comandantes do I COMAR e Presidente da COMARA, Major-Brigadeiro do Ar Carlos Eurico Peclat dos Santos, da Segunda Força Aérea, Brigadeiro do Ar José Alberto de Mattos, da Base Aérea de Porto Velho (BAPV), Coronel-Aviador Augusto Cesar Abreu dos Santos , e do 2°/8° GAV, Tenente-Coronel-Aviador Cláudio Wilson Saturnino Alves.
Homenagem
Na cerimônia militar  foram homenageados o piloto mais eficiente do esquadrão, o Capitão-Aviador Andre Luis Vidal Agostini, o Graduado Padrão, Suboficial Luis Antonio Martins, e a Praça Padrão, Soldado de 1ª Classe Rodrigo Rodrigues Cavalcante. Foram entregues ainda os Prêmios de Segurança de Voo ao Tenente-Aviador Carlos Siqueira Besch e o 2° Sargento QSS BMA Laercio Antonio Farias Souza.


Fonte: 2º/8º GAV/Cecomsaer

III COMAR (Rio de Janeiro) vence a 6ª Edição do Torneio da Tropa de Infantaria

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com



O Terceiro Comando Aéreo Regional (III COMAR) foi o grande campeão da 6ª Edição do Torneio da Tropa de Infantaria (TTI), disputado entre os dias 23 e 27 de julho, na Base Aérea de Anápolis (BAAN), em Goiás. Em segundo lugar ficou o IV COMAR (São Paulo) e em terceiro, o I COMAR (Belém).
"Os principais fatores que contribuíram para vencer a competição foram a escolha de uma boa equipe e a união do grupo. A vitória é um estimulo para que nós nos aperfeiçoemos cada vez mais no exercício de nossas atividades diárias", afirma o Tenente-Coronel Infantaria Almir Pinto de Lima, chefe da delegação do III COMAR.

Durante uma semana, cerca de 240 militares, representando as unidades de Infantaria de Aeronáutica sediadas na área de responsabilidade de cada Comando Aéreo Regional (COMAR) do país, participaram de competições nas modalidades de Tiro Militar Avançado com Armamento Terrestre, Corrida de Orientação, Emprego Operacional, Pista de Obstáculos, Conhecimento Doutrinário e Cabo-de-Guerra.
Na solenidade de premiação, realizada no auditório da BAAN nesta sexta-feira (27/7), estiveram presentes o Comandante do Sexto Comando Aéreo Regional, Major-Brigadeiro do Ar Antônio Carlos Moretti Bermudez; o Chefe da Subchefia de Segurança e Defesa do Comando-Geral de Operações Aéreas, Brigadeiro de Infantaria Amilcar Andrade Bastos. (Veja a classificação geral aqui)

“O Torneio da Tropa de Infantaria simula, por meio das modalidades esportivas, as condições operacionais a que esses militares são submetidos no dia a dia. A gente traz isso em cada uma das provas procurando associa-las às virtudes que o combatente precisa ter. Com isso temos condições de verificar o nível de aprimoramento tanto da parte de aptidão física quanto do conhecimento profissional desses militares para o desempenho de suas missões”, avalia o Brigadeiro Bastos.

O Capitão de Infantaria Gilson Resende Floriano Junior, do III COMAR, foi eleito o competidor padrão do torneio. Já o título de equipe mais disciplinada do torneio ficou com o IV COMAR.

As provas realizadas no TTI estão diretamente ligadas às atividades desempenhadas pela infantaria, como forças especiais, polícia de aeronáutica, entre outros.

Além de promover o intercâmbio de experiências das tropas, melhorar o preparo físico e proporcionar o aprimoramento de técnicas e doutrinas operacionais, as competições produzirão dados que servirão de parâmetro para o aprimoramento dos militares. 

“Todas as atividades foram escolhidas para desenvolver como um todo o combatente terrestre da FAB. Então a gente trabalha a parte física em algumas modalidades, em outras são avaliados os conhecimentos técnicos, operacionais, e também o espírito de equipe. Portanto, a participação neste tipo de evento é de suma importância”, ressalta o Capitão de Infantaria Sávio Mayer Gomes Pinto.
Fonte: Agência Força Aérea

Jornalistas participam estágio de preparação para área de conflitos

Renan Contrera 
renancontrera@hotmail.com
                                                                  Fotos: CCOPAB

A jornalista Daniela Jenkins estuda filosofia e está mais acostumada a fazer matérias para a Agência Brasil sobre assuntos típicos para repórteres do Distrito Federal. Mas nessa quinta-feira (26/07) Daniela teve que se proteger de disparos enquanto subia um morro escoltada por soldados do Exército Brasileiro. Equipada com colete balístico e capacete, ela teve ainda que se alimentar com ração operacional das Forças Armadas e saber distinguir disparos de pistolas e diversos tipos de fuzis em uma simulação de ameaças comuns em áreas de conflito. "É um treinamento necessário para a nossa carreira. Querendo ou não a gente vai se deparar com algumas situações. E com instrução poderemos tomar atitudes corretas", afirma. 

Os desafios fazem parte do Estágio de Preparação para Jornalistas em Áreas de Conflito, realizado nesta semana, no Rio de Janeiro, pelo Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB) do Exército. A turma de 32 jornalistas de agências de notícias, jornais, rádios, sites e emissoras de televisão de vários estados do Brasil, além de militares de comunicação social do Exército, Marinha e Força Aérea, foi preparada para conseguir realizar coberturas em áreas perigosas. As instruções envolveram temas que foram de aula sobre o Direito Humanitário Internacional até técnicas para se proteger de ameaças como armas químicas, tiroteios em cenário urbano e ação de grupos terroristas ou de sequestradores.

Para muitos, uma chance única de se preparar para situações que podem chegar de surpresa. Foi o que aconteceu com Daniela há um ano, quando esperava mais um dia normal de trabalho e acabou enviada para cobrir as enchentes em Alagoas e Pernambuco, onde não havia violência mas o cenário já era bem diferente do dia-a-dia da repórter. "Foi uma pauta bastante diferente", conta. Na ocasião, a jornalista embarcou em um helicótero pela primeira vez, um Super Puma da Força Aérea Brasileira. Um voo que segundo ela foi muito tranquilo e não deu medo, apesar de ter sido realizada com a porta aberta e ela ter se surpreendido com o tamanho da aeronave. 
 

Para o repórter fotográfico Luiz Carlos Gomes, do Jornal Folha de São Paulo, o curso foi a chance de se aperfeiçoar naquilo que ele fazia na prática, mas sem qualquer informação. Enviado para a Líbia duas vezes, ele passou 30 dias no deserto ao lado dos rebeldes que derrubaram o ditador Muammar Kadafi. "Eu fui na contramão. Primeiro eu fui cobrir um conflito depois eu vim fazer o curso. Lá mesmo eu tinha noção que poderia ter perdido a vida em diversas ocasiões por falta de experiência. Agora estou mais seguro. Pronto para outra". 

O Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB) é uma organização militar brasileira voltada para a preparação de tropas e de civis que podem atuar em missões de paz brasileiras. Os instrutores são militares brasileiros e estrangeiros com experiência nesse tipo de ação, além de policiais militares e especialistas civis. Mais informações no site do 
CCOPAB.


Fonte: Agência Força Aérea

Brasil deverá cooperar na estruturação de novas forças de defesa para o Haiti

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com


Fotos: Agencia Força Aérea/ Sgt Rezende 
photo
Brasília, 26/07/2012 - O governo brasileiro decidiu ajudar a estruturação de novas forças de defesa para o Haiti. Em uma reunião entre o Ministro da Defesa, Celso Amorim, e o colega haitiano Jean Rodolphe Joazile, nesta quinta-feira (26/07), em Brasília, ficou decidido o envio nas próximas semanas de comissão formada por militares brasileiros a Porto Príncipe para conhecer melhor as necessidades do país relacionadas ao assunto.


O possível auxílio brasileiro parte de uma solicitação do próprio governo do Haiti. O tema surgiu durante a visita da presidenta Dilma Rousseff a Porto Príncipe este ano. Na ocasião, o presidente haitiano, Michel Martelly, fez a solicitação, que foi reforçada durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, em conversa com o próprio ministro brasileiro.

Segundo Amorim, a provável ajuda do Brasil deverá, num primeiro momento, focar-se em ações relacionadas à engenharia. Durante o encontro, foi aventada, por exemplo, a possibilidade de abertura de vagas para haitianos em escolas militares especializadas nesse ramo do conhecimento e até mesmo em instituições castrenses de formação técnico-profissional de sargentos.

O modelo e a dimensão da ajuda brasileira será definido, no entanto, somente após o levantamento das reais necessidades dos haitianos. Segundo o ministro da Defesa brasileiro, a eventual cooperação na estruturação de novas forças de defesa para o país caribenho ocorrerá no âmbito da cooperação bilateral existente entre as duas nações. Se trata, portanto, de iniciativa distinta da Missão de Paz em curso no país em que o Brasil participa de uma ação multilateral sob a coordenação da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante a reunião, o ministro haitiano frisou o compromisso do governo de seu país de estruturação de forças de defesa baseadas em princípios democráticos, como a subordinação ao poder civil constituído, e capazes de auxiliar o desenvolvimento nacional. Ele afirmou que a preocupação do atual governo é formar uma estrutura de defesa para combate ao crime transnacional, ao terrorismo e para realizar o controle de fronteiras.Amorim concordou com Joazile e observou ser fundamental que a construção de novas forças também leve em consideração aspectos como disciplina, hierarquia, profissionalismo militar e afastamento da política.

photo

No encontro, as delegações também trataram da permanência das tropas brasileiras na Minustah. Amorim reiterou o compromisso do Brasil de continuar colaborando com a Missão, mas afirmou que o país tem a intenção de diminuir para cerca de mil homens o atual contingente brasileiro, após acertos com o Haiti e a ONU. "Evidentemente ficaremos no país o tempo que for necessário. Porém, não é bom nem para o Brasil, nem para a ONU e nem para o Haiti que seja uma permanência eterna", disse o ministro, sem precisar datas.

Defesa do Haiti

O Ministro da Defesa do Haiti, Jean Joazile, foi recebido por Celso Amorim. Joazile chegou ao Ministério da Defesa, passou em revista as tropas e se deslocou à sala de reunião para o encontro bilateral. Na conversa, Amorim fez um relato da participação do Brasil na missão de paz naquele país. De acordo com o ministro, ele visitou o Haiti 11 vezes nos últimos anos, sendo dez na condição de ministro das Relações Exteriores, no governo do presidente Lula, e a última delas como chefe da Defesa, na companhia da presidenta Dilma. "Gosto sempre de frisar que o Brasil somente entrou no Haiti por ser uma missão das Nações Unidas com três objetivos específicos: contribuir para restaurar a ordem pública, contribuir para a reestruturação política e assegurar o desenvolvimento econômico e social do Haiti. Isso tudo tem um efeito catalisador que a nossa presença teve para desenvolver outras ações"
, disse o ministro.

Amorim destacou também que a participação do Brasil sempre respeitou o fato de que o Haiti é um país soberano. Desde 2004, quando desembarcaram as primeiras tropas brasileiras, até o ano passado, o governo investiu R$ 1,075 bilhão. A força militar, que já chegou a ter um efetivo de 2.200 homens, vem sendo reduzida gradualmente, contando hoje com 1.910 militares.

Ao tratar da cooperação entre os dois países, o ministro Jean Rodolphe Joazile disse que o governo haitiano é grato ao Brasil e que a visita dele ao país tinha por finalidade prosseguir com o processo de fortalecimento da defesa nacional. 

Segundo Joazile, a intenção do governo haitiano é implantar um novo formato para sua defesa dentro dos próximos anos. "O nosso objetivo é começar do zero. Não teremos aquela força antiga. Será uma força com controle e poder civil", destacou.

Após a reunião bilateral, o ministro Amorim, em conversa com jornalistas, explicou que o governo brasileiro tem interesse em ajudar o Haiti. "Lá existe uma força policial. Mas o Haiti está também preocupado em poder guardar as suas fronteiras, em poder guardar sua costa marítima, e em ser capaz de atuar na área de defesa civil", disse o ministro brasileiro.

Na avaliação de Amorim, pelo fato de o Haiti ser vulnerável aos desastres naturais, é preciso também que o país forme especialistas capazes de lidar com essas situações. No entanto, deixou claro que qualquer decisão que venha a ser tomada deve acontecer com o aval do governo haitiano.

"Nós demos hoje o primeiro passo a pedido do governo do Haiti e mandaremos ao país uma pequena missão que não tem nada a ver com a Minustah. Não vamos misturar, pois não tem nada a ver com as Nações Unidas", afirmou. "A comissão terá por objetivo fazer o diagnóstico sobre como deveremos ajudar, sobretudo, nas áreas que foram mencionadas pelo ministro, ou seja, na engenharia militar. É importante sinalizarmos para o fato de que, no futuro, o Haiti terá que tomar conta de sua própria segurança".

Celso Amorim frisou aos jornalistas, ao término da conversa, que o custo dessa operação será bem menor se comparado ao gasto do governo brasileiro em manter as tropas naquele país.


Fonte: Ministério da Defesa/Agência Força Aérea

Força Aérea Brasileira e Boliviana iniciam exercício militar na fronteira

Segunda edição do exercício entre as Forças Aéreas do Brasil e da Bolívia consolida procedimentos de interceptação e maior controle do espaço aéreo na região de fronteira


Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
                                                                          Foto:Agencia Força Aérea 

Brasil e Bolívia treinam juntos, na área de fronteira entre os dois países, procedimentos para combater o tráfego de aeronaves supostamente envolvidas em atividades ilícitas. A segunda edição do exercício operacional entre as respectivas Forças Aéreas, denominada BOLBRA II, que acontece de 22 a 27 de julho, integra o “Acordo de Cooperação Mútua entre o Governo da República do Brasil e o Estado Plurinacional da Bolívia para combater o Tráfego de Aeronaves Envolvidas com Atividades Ilícitas Transnacionais”, firmado em 2005, na cidade de La Paz.

Durante os cinco dias de exercício conjunto, estarão atuando lado a lado aeronaves Cessna C210, Pilatus PC-7 e Krarakorum K-8, da Força Aérea Boliviana (FAB), e aeronaves A-29 Super Tucano, E-99 e C-98 e C-97, da Força Aérea Brasileira. As missões da BOLBRA II serão realizadas no espaço aéreo da região de fronteira ente o Brasil e a Bolívia. A sede brasileira do exercício será a Base Aérea de Campo Grande (BACG), localizada na capital do Estado do Mato Grosso do Sul. A base boliviana fica na cidade de Puerto Suárez, cidade que fica na fronteira com o Brasil, próximo à cidade de Corumbá.

Tendo como foco principal o treinamento de pilotos e controladores de voo, o Exercício estabelece procedimentos que aumentam a eficácia nas operações de combate a tráfegos ilícitos entre as duas nações, por meio da estreita cooperação entre os órgãos de Defesa Aérea do Brasil e da Bolívia. Também consolida procedimentos de coordenação para a interceptação de aeronaves, com vistas à execução das medidas de policiamento do espaço aéreo, sendo utilizado para revisar e atualizar as normas binacionais de defesa aeroespacial, de modo a aprimorar os procedimentos de transferência de tráfegos aéreos de interesse.

Como Comandante do Exercício BOLBRA II em território brasileiro, foi designado o Major-Brigadeiro do Ar Marcelo Mário de Holanda Coutinho, Comandante do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA). Em território boliviano, o comandante é o General de Brigada Aérea Weber Gonzalo Quevedo Peña, Chefe do Departamento III de Operações do EMGFAB. Ambos deverão atuar com a estrutura disponível em cada país, tendo como responsabilidade o planejamento, a supervisão e a execução das operações aéreas no período.

Mais informações, fotos e vídeos, podem ser obtidos na Seção de Comunicação Social da Base Aérea de Campo Grande, nos telefones 3368-3123, 9902-2700 ou (061) 8119-7420.

Fonte: BACG

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Policia Militar atendeu 74 ocorrências e roubo a agencia bancaria.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
                                                                                            Foto: Internet 
A Policia Militar de Tanabi atendeu nesse final de semana 74 ocorrências sendo elas, 15 ocorrências elaboradas, 20 multas aplicadas, 04 veículos recolhidos para o patio, tendo de destaque dois tráficos de entorpecentes e um roubou a agencia bancaria nessa Segunda - Feira (23 de Julho).

No dia 20 - 07 - 2012 as 20h20 Trafico de Entorpecentes - Ato Infracional. Em patrulhamento pelo Bairro Cohab II foi avistado um individuo caminhando pela via e ao avistar a viatura policial dispensou algo no chão e saiu correndo adentrando em uma residência e pulando o muro de varias outras residências, ao verificar o conteúdo que o individuo dispensou, foi constatado que se tratava-se de duas porções de "crack" (0,009 Kg), posteriormente foi localizado o indivíduo que se tratava do menor G.P.M em uma residência próxima do local. Diante dos fatos, foi conduzido o menor e o entorpecente ao Distrito Policial onde o Delegado Paulo de Tarso A. Marcondes elaborou BO/PC de Ato Infracional/Trafico de Entorpecentes e apreendeu o menor. 

Ainda no dia 20-07  as 21h13 Trafico de Entorpecente - Ato Infracional. Enquanto a guarnição apresentava uma ocorrência de Trafico de Entorpecente na Delegacia de Policia, um policial que fazia a segurança da equipe do lado de fora, solicitou apoio para abordar um individuo que passava próximo ao local que ao avistar o policial militar mudou de rota e acelerou os passos, send solicitado para que parasse o mesmo não obedeceu e jogou algo no chão, então foi alcançado e abordado o menor L.S de O. onde foram encontradas com ele 20 pedras de "crack" (0,005 Kg) e onde dispensou o conteúdo foi localizado 17 porções de "cocaína" (0,004 Kg). Diante dos fatos, conduziram o menor e o entorpecente ao Distrito Policial onde o Delegado Paulo de Tarso A. Marcondes elaborou BO/PC de Ato Infracional/Trafico de Entorpecente e aprendeu o menor. 


Foto: Renan Contrera 
As Policiais Civis, Militares e Cientificas presentes no local 
23 - 07 Segunda - Feira por volta das 06h49. Por solicitação de populares, chegou a conhecimento através de 190 que agencia do Banco do Brasil, localizada na Rua Dr. Cunha Junior nº448, município de Tanabi-SP estaria com Caixa Eletrônico arrombado. Pelo local dos fatos, constatou-se o arrombamento de 02 (dois) Caixas Eletrônicos através de maçarico, sendo localizado ainda uma cédula de R$50,00 (cinquenta reais), a qual estava queimada próximo a um dos caixas, bem como uma garrafa plastica com água. Diante de tal fato, foi acionado a Policia Civil, onde compareceu o Investidor de Policia Advaldo Cristal, o qual acionou a Policia Cientifica, comparecendo o Perito Jorge e o Fotografo Pierre. Compareceu ainda pelo local o Sr. 1º Ten PM Muriti, CFP diurno.


Nota: Até o fechamento desta matéria não tinha sido divulgado o valor roubado.


Assina a nota da Policia Militar Soldado PM Saraiva 

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Novos Anjos da Guarda na Esquadrilha da Fumaça

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com



Além do ingresso de três pilotos, que aconteceu no dia 13 de julho, o time de Anjos da Guarda também teve renovação na equipe. Foram seis os graduados admitidos após serem aprovados em conselho operacional, realizado entre os atuais “Anjos” do Esquadrão. A notícia foi divulgada no dia 17 de julho e recebida com muita alegria por todos. Os graduados escolhidos são sargentos que, atualmente, servem na Academia da Força Aérea (AFA) e receberam a notícia durante o expediente de trabalho.
Com a saída de quatro mecânicos ao término deste ano, devido à transferência para a reserva e para outras unidades, foi necessária a escolha de novos. São eles: 3º Sargento BMA Gustavo Luis Ament, 3º Sargento BMA Márcio Vinícius da Silva, 3º Sargento Kleber Augusto Pereira da Silva -  especialistas em Manutenção de Aeronaves, 3º Sargento BET Jonadabe Roque da Cruz – especialista em Eletrônica.
Visando aprimorar a atividade administrativa do Esquadrão, foram admitidos também o 3º Sargento SAD Jadson Fabrício Ferreira – especialista em Serviços Administrativos e o 3º Sargento SIN Rafael Natanael Pires – especialista em Informática.
Todos eles passam a compor efetivamente a equipe fumaceira a partir de 2013 e se juntam ao grupo de Anjos da Guarda, responsável por prover todo o apoio necessário à segurança das aeronaves e ao trabalho administrativo da Esquadrilha da Fumaça.
A equipe atual deseja as boas-vindas e felicidades na nova missão!
                                         Fotos: EDA 
Sgt Pires (ao centro) recebe seu novo uniforme do SO J.Loureiro e Sgt Ribeiro
Sgt Renato e o novo fumaceiro Sgt Gustavo
Sgt M. Vinícius
SO Reginado e o novo fumaceiro Sgt Cruz
Sgt A.Carvalho e o novo fumaceiro Sgt Fabrício

Fonte: Esquadrão de Demonstração Aérea 

Fumaceiros recebem Medalha Santos Dumont

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com



Dia 20 de julho é comemorado o nascimento do Marechal do Ar Alberto Santos Dumont, o Patrono da Aeronáutica.
Para homenageá-lo, as unidades da Força Aérea Brasileira (FAB) organizam cerimônias militares. A Academia da Força Aérea (AFA), unidade em que a Esquadrilha da Fumaça está sediada realizou a solenidade pela manhã e toda a equipe fumaceira participou.
Além da cerimônia que conta com o hasteamento da insígnia de Marechal do Ar, leitura da ordem do dia do Comandante da Aeronáutica e desfile militar, acontece, também, a entrega da Medalha Mérito Santos Dumont. A condecoração foi instituída em 1956, por ocasião das comemorações do cinquentenário do voo do 14-Bis, a mais importante invenção do Pai da Aviação, e homenageia civis e militares que tenham se destacado nos serviços prestados à FAB. Dois dos militares da Fumaça receberam a honraria: o piloto Cap Av Marcelo Oliveira da Silva, #2, e o Anjo da Guarda SO BMA Reginaldo de Almeida Azevedo.
A Esquadrilha da Fumaça se sente honrada e com muito orgulho de seus militares e os parabeniza pela merecida homenagem!
Fumaça... Já!!
                                            Fotos: EDA 
Cap Av Marcelo recebe a medalha do Cel Int Lopes
SO BMA Reginaldo recebe a medalha do Ten Cel Av Polesi
Efetivo da Fumaça durante desfile militar
Os homenageados SO Reginaldo e Cap Marcelo

Fonte: Esquadrão de Demonstração Aérea 

FAB realiza entrega da Medalha Mérito Santos Dumont

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com


            Fotos: Agencia Força Aérea/Sgt Simo 

  Na data de aniversario do Patrono da Aeronáutica Brasileira e Pai da Aviação, o Marechal do Ar Alberto Santos Dumont, a Força Aérea Brasileira (FAB) homenageou, nesta sexta-feira (20/07), civis e militares em unidades aéreas em todo o país com a entrega da Medalha Mérito Santos Dumont. A condecoração, criada em 1956, é destinada a militares da Aeronáutica tenham se distinguido no exercício de sua profissão, a cidadãos brasileiros e estrangeiros que tenham prestado notáveis serviços ao país e a organizações militares e instituições civis, brasileiras ou estrangeiras julgadas merecedoras. 

Em Brasília, a solenidade de condecoração das 194 personalidades foi realizada na Base Aérea de Brasília (BABR), em cerimônia presidida pelo Ministro da Defesa, Celso Amorim, e com a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Juniti Saito, do Comandante do Exercito, General de Exercito Enzo Martins Peri e do Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto. 

Homenagens e despedidas
Nos casos da Capitão QOEA Ana Cristina Rocha dos Santos e do Suboficial João Batista Maia, a medalha tem um significado especial, já que os militares completam 30 e 31 anos de carreira, respectivamente. A Capitão Cristina faz parte da primeira turma do Quadro Feminino de Graduadas da FAB. 

"Eu considero a medalha um reconhecimento do trabalho e do tempo dedicado a FAB. Não me arrependo de nada e me despeço da FAB, nestes 30 anos de carreira, com muitas recordações positivas. Agradeço ao meu marido, o Tenente Wagner Moreira de Oliveira, porque se não fosse ele eu não seria oficial. Durante o tempo em que   estive no curso de formação, ele tomou conta da minha filha Leticia, então com quatro anos, para que eu realizasse o meu sonho ", lembrou a Capitão Cristina. 

O Suboficial João Batista Maia afirma que a carreira de taifeiro na FAB foi muito positiva para a sua vida. 

"É uma honra muito grande receber esta homenagem. Em todos estes anos de dedicação à FAB, eu aprendi muitas coisas e realizei muitos sonhos", explicou o Suboficial Maia. 

photo


A cerimônia contou com desfile de tropa e passagem de caças A-1. O Patrono da Aeronáutica também recebeu uma homenagem durante a formatura: o hasteamento da insígnia de Marechal do Ar, posto mais alto da FAB, e a execução do toque correspondente ao posto.


Fonte: Agência Força Aérea

CENIPA apresenta balanço da investigação de acidente com aeronave no Recife

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com



Familiares das vítimas do acidente com o bimotor LET 410 da Noar Linhas Aéreas se reuniram hoje (18/7) com o Coronel-Aviador Fernando Camargo, do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), para conhecer os detalhes do trabalho de apuração dos fatores que levaram à queda do avião, em 13 de julho do ano passado, no Recife. O relatório final será produzido, mas até agora já foram emitidas 15 recomendações de segurança com o objetivo de evitar ocorrências semelhantes no futuro.
"Nós saimos daqui bastante confortados com as informações passadas pelo CENIPA. Vimos que eles estão fazendo um trabalho sério, procurando ententer tudo o que aconteceu com aeronave antes durante e depois do acidente", disse o presidente da associação dos familiares, Geyson Soares. Durante a reunião foram explicados todos os passos do trabalho, desde o acidente no dia 13 de julho de 2011. A investigação já cobriu análises de fatores como a manutenção da aeronave, treinamento de pessoal, condições físicas e psicológicas dos pilotos e até dos manuais de procedimentos de emergência.
Até agora, sabe-se que uma aleta da turbina esquerda quebrou ainda durante a decolagem, o que causou a perda de potência. Mesmo assim, um avião como o LET 410 deveria ter condições de retornar para um pouso de emergência. Um dos desafios da investigação é tentar entender porque isso não aconteceu. Uma das hipóteses é o fato do manual de voo do modelo e o check-list de emergência não apresentarem as informações da mesma maneira. "É possível que as lacunas no check-list tenham levado os pilotos a memorizarem o procedimento incompleto", explicou o Coronel Camargo.
Além disso, testes em laboratórios no Brasil e nos Estados Unidos foram realizados para entender o porquê do rompimento da aleta, que havia sido instalada no LET 410 após passar por manutenção na empresa fabricante da turbina. "Não houve participação da NOAR nesse serviço de manutenção", esclareceu. Por outro lado, não há indícios de que os pilotos tenham completado todo o treinamento previsto para emergências com perda de potência em uma turbina durante a decolagem, exatamente a situação do dia do acidente.
A expectativa é de conclusão dos trabalhos do CENIPA até o final desde ano. Em paralelo, a Polícia Federal conduz o Inquérito que deverá apontar causas e responsabilidades do acidente. A investigação do CENIPA, segundo normas internacionais, concentra-se na emissão de recomendações de segurança - o produto final desse trabalho. "Nosso objetivo é deixar a aviação mais segura", finaliza o Coronel Camargo.
As recomendações são destinadas para as empresas que voam o LET 410 realizem os treinamentos previstos, para a Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC) acompanhar o cumprimento desses treinamentos e para a empresa LET corrigir os manuais das aeronaves.
Fonte: Agência Força Aérea

Em patrulha no Haiti, militares da Força Aérea realizam parto em Porto Príncipe

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
                                                                           Fotos:Agencia Força Aérea 

Soldados brasileiros fazem parto no HaitiPorto Príncipe (Haiti) – Ernesto e Rebeca Delise vagavam pelas ruas de Porto Príncipe à procura de socorro. Grávida, com fortes contrações, a jovem e o marido tiveram de parar em uma das avenidas escuras da capital Porto Príncipe. Deitada na calçada, os dois esperavam. Na história desses pais haitianos, um encontro foi decisivo para o final feliz.Nove militares da Força Aérea Brasileira que participam da missão da Organização das Nações Unidas (ONU) no país, em missão rotineira de patrulha, viram a cena e socorreram a mãe. 
Os primeiros atendimentos aconteceram ali mesmo. Os militares embarcaram a jovem mãe haitiana na viatura e partiram em busca de socorro, rumo a postos médicos de entidades que prestam apoio à população haitiana. Não deu tempo. O pequeno Junas Delise nasceu às 5h desta quarta-feira (18/07), na viatura da patrulha, com a ajuda dos soldados brasileiros Demorvã Diego Canton e Kaue Correa dos Santos Frois, que receberam treinamento de primeiros socorros antes do embarque para a missão.

Com o menino nos braços da mãe, a equipe da FAB seguiu para o Centro de Referência de Urgências Obstétricas da ONG Médicos Sem Fronteiras. Os dois passam bem. 
“No momento mantivemos a calma para trazer uma nova vida ao mundo. A emoção foi muito grande. Fizemos o que fomos treinados. Foi uma lição que vamos levar por toda a vida”, afirma o soldado Demorvã. Frois diz que a experiência está sendo única, mas para ele “somente este fato já faz valer a pena toda a missão”.
Tropas brasileiras, do Exército, da Marinha e da FAB, participam da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH), ao lado de outros países que colaboram com a reconstrução do Haiti. 
Missão de paz - Os militares envolvidos no parto integram o terceiro contingente da FAB no Haiti. Vinte e sete militares do Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Brasília (BINFAE-BR) embarcaram em 29 de março. Eles devem retornar ao Brasil em novembro, quando embarca o quarto contingente da FAB, Pelotão de Infantaria da Aeronáutica (PINFA 17), composto por militares das Guarnições de Aeronáutica de Natal, Recife e Fortaleza, que irá substituí-los.


Fonte: Agência Força Aérea