sexta-feira, 28 de junho de 2013

Marinha do Brasil atua para o sucesso na final da Copa das Confederações

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Navio Patrulha Oceânico “Apa”
No dia 30 de junho, será realizado o jogo da final da Copa das Confederações, no estádio Maracanã, no Rio de Janeiro. Para contribuir para o sucesso do evento, o Comando do 1º Distrito Naval, sediado no Rio de Janeiro, desempenha atividades de segurança marítima e segurança das estruturas estratégicas, área do porto e terminais da Baía de Guanabara.

Iniciadas em 29 de maio, as atividades envolvem o emprego de 18 embarcações, incluindo os Navios-Patrulha Oceânico “Amazonas” e “APA”. Estão sendo realizadas ações de presença, acompanhamento do tráfego marítimo, patrulha naval, operações de esclarecimento em proveito dos meios navais e de fuzileiros navais, inspeção naval nas áreas marítimas e portuárias de interesse da Copa das Confederações FIFA 2013, no trecho do litoral da cidade do Rio de Janeiro, desde o Píer Mauá até a Praia da Barra da Tijuca, Terminal Aquaviário da Baia de Guanabara e área marítima da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAA), em Angra dos Reis.
Até o momento, foram inspecionadas 248 embarcações.

Exercício de segurança marítima

Navio-Patrulha Oceânico “Araguari” é incorporado à Marinha do Brasil

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com


Navio-Patrulha Oceânico “Araguari”
No dia 21 de junho, nas dependências da Base Naval de Portsmouth, no Reino Unido, o Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) “Araguari” foi batizado e incorporado à Marinha do Brasil em cerimônia presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante-de-Esquadra Eduardo Monteiro Lopes. O evento contou com a presença do Embaixador do Brasil no Reino Unido, Roberto Jaguaribe; do Primeiro Lorde do Almirantado da Marinha Real Britânica, Almirante George Zambellas; do ex-Ministro da Marinha, Almirante-de-Esquadra Alfredo Karam; acompanhado da madrinha do navio, Elisabeth Pinto Heluey.
A cerimônia de batismo foi marcada pelo tradicional banho de champanhe, após o acionamento do dispositivo por sua madrinha, simbolizando o momento em que o navio passou a ter alma e as virtudes de honra, coragem e abnegação, inerentes aos nautas.
Como parte do Programa de Obtenção de Meios, a incorporação do último dos três navios-patrulha oceânicos de 1.800 toneladas, construídos pela “BAE Systems Maritime – Naval Ships”, marca um importante incremento para a segurança e proteção das riquezas da “Amazônia Azul”. O primeiro, NPaOc “Amazonas”, foi entregue à Marinha no dia 29 de junho de 2012 e o segundo, o NPaOc “Apa”, foi incorporado em 30 de novembro do mesmo ano.
A principal característica desses meios é a flexibilidade, o que torna possível serem utilizados em diversas tarefas, tais como: patrulha naval, assistência humanitária, busca e salvamento, fiscalização, repressão às atividades ilícitas e prevenção contra a poluição hídrica.
O “Araguari” é o quarto navio a ostentar esse nome na Marinha e é uma homenagem a um rio de Minas Gerais que atravessa a região do Triângulo Mineiro. Após a incorporação à Marinha, o navio será preparado para navegar em direção ao Brasil.

Cadetes da Academia da Força Aérea realizam exercício de sobrevivência na selva

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Durante cinco dias, os cadetes do terceiro ano dos Cursos de Formação de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria da Academia da Força Aérea (AFA) realizaram um exercício de sobrevivência na Selva Amazônica. O treinamento ocorreu entre os dias 12 e 26 de junho, no Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV), na Serra do Cachimbo (PA).
 
 Após desembarque no CPBV, os cadetes recebem os equipamentos para o exercício, que não são muitos: facão, pá, equipamentos de sinalização, velame (tecido do paraquedas), uma pistola 9mm (para a segurança dos cadetes), uma arma de caça e uma mochila. As instruções de segurança são reforçadas e o grupo segue para a área do exercício, com deslocamentos feitos por ônibus e barco.
 
 A área é selvagem, de mata fechada, um cenário típico que sobreviventes encontram quando ficam isolados em ambiente de selva. Divididos em grupos de aproximadamente 14 pessoas, os cadetes permaneceram por cinco dias no local, com o desafio de sobreviver àquela região inóspita. Apesar da prontidão em tempo integral da equipe de suporte, que consegue chegar ao local em cerca de 15 minutos caso sejam acionados, os cadetes ficam sozinhos durante todo o exercício, responsáveis por si próprios e pelo grupo.
 
 São vários os desafios que o sobrevivente enfrenta na selva e durante o exercício não é diferente. Em relação à alimentação, não só a obtenção da comida é essencial, mas também cuidados com a higiene e a identificação de frutos comestíveis, para evitar intoxicação alimentar. A presença de animais selvagens e grande quantidade de insetos é outro forte obstáculo. É comum os cadetes avistarem diversos animais, como onças, macacos, porcos do mato e cobras.
 
 No local, os cadetes colocaram em prática as técnicas que aprenderam na AFA, visando à sobrevivência não só durante os cinco dias do treinamento, mas por tempo indeterminado, já que em uma situação real o tempo de espera do resgate pode variar muito.
 
 O correto preparo de uma área de sobrevivência inclui diversas atividades que melhoram a segurança, como a limpeza da área e a construção de abrigos, de latrinas, área para abate de animais, fogueira, entre outras. Os cadetes preparam, ainda, áreas estratégicas para aumentar as chances de visualização do grupo por parte da equipe de resgate. “Na AFA, tudo aquilo que aprendemos tem alguém para cobrar, mas na selva não. Então quando fazemos algo errado ou mal feito, nós mesmos sofremos as consequências da natureza. Nosso sucesso depende apenas do nosso aprendizado e esforço”, conta o Cadete Gabriel Sampaio Duarte, que participou da atividade.


 
 Após os primeiros dias de treinamento, os cadetes, já cansados e debilitados fisicamente, geralmente começam a sentir outro mal sofrido pelos sobreviventes: moral baixo, excesso de tempo ocioso e tédio. Nesse momento, a união do grupo e a imaginação dos sobreviventes são fortes aliados. “A fome, o sono ruim e o cansaço começam a abater muito as pessoas. Então trabalhar para melhorar a qualidade de vida do grupo nos ajuda muito”, relembra o Cadete Duarte. Segundo o jovem
, móveis improvisados, miniatura de uma pista de pouso e até mesmo 
um jogo de golfe improvisado foram algumas das engenhocas criadas pelos grupos.
 
 O treinamento traz grande aprendizado aos cadetes e a certeza de que, se algum dia tiverem o infortúnio de um incidente na selva, estarão preparados para enfrentar a situação. “Trabalhar em equipe, sobre pressão, saber até onde o seu corpo vai, e os limites psicológicos são grandes lições que o treinamento nos trouxe. Tenho certeza que estou preparado se uma situação real acontecer”, afirma o cadete.

Tropa canadense desembarca em Porto Príncipe e incorpora ao BRABAT 18

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

No dia 21 de junho, a bordo de aeronave C 130 Hércules da Força Aérea Canadense, 32 militares canadenses desembarcaram no aeroporto internacional Toussaint Louverture e incorporaram às tropas brasileiras, completando o efetivo do Batalhão de Infantaria de Força de Paz do 18º Contingente Brasileiro (BRABAT 18). Outros dois militares já haviam chegado em 18 de junho. O efetivo canadense constituirá o 4º Pelotão da 4ª Companhia de Fuzileiros de Força de Paz. Quatro militares serão integrantes do Estado-Maior do Batalhão Brasileiro.


A tropa canadense é oriunda do 22º Regimento Real do Exército Canadense, que tem sua base na cidade de Quebec (Canadá).

A participação canadense em missão de Paz com o Brasil foi regulada em Memorando de Entendimento assinado entre os governos canadense e brasileiro, em 7 de junho na cidade de Nova York. De acordo com esse documento, o pelotão canadense estará sob controle operacional do BRABAT 18 e cumprirá, dentre outras, as seguintes missões: patrulhas a pé e motorizadas, segurança de instalações e comboios, apoio logístico, operações de isolamento de área, Forças de Reação Rápida e operações de Cooperação Cívico-Militar (CIMIC).

Pela primeira vez na história, tropas brasileiras e canadenses atuarão de forma conjunta em operações militares, propiciando, além do intercâmbio de experiências em operações de paz e a colaboração mútua, um maior grau de conhecimento e interoperabilidade entre as Forças. Essa atividade em prol da paz e segurança internacional se constitui em um marco na cooperação regional.

Novos carros de combate Gepard realizam primeiros tiros reais

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Nos dias 22 e 23 de junho, o Exército Brasileiro realizou os primeiros tiros para testar o novo Sistema Antiaéreo Gepard, recém-adquirido para proteger estruturas estratégicas brasileiras e áreas sensíveis. No Centro de Avaliações do Exército, na restinga da Marambaia (RJ), oito viaturas Gepard acertaram alvos aéreos e terrestres, conduzidos por unidades da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea.


Cada blindado pesa 47 toneladas e meia, e tem quase quatro metros de altura e oito de comprimento. Possui dois canhões antiaéreos Oerlikon de 35 milímetros, que operam em conjunto com radares de aquisição de alvo e direção de tiro, ou seja, que acompanham o alvo mesmo se ele desviar, em uma torre de giro estabilizada montada sobre o chassi do Leopard 1, outro carro de combate que o Brasil já possui. 

O sistema recentemente foi modernizado pelo Exército Alemão e adquirido como parte do Sistema de Defesa Antiaérea, sendo capaz de abater mísseis, aviões, helicópteros, veículos aéreos não-tripulados, foguetes e morteiros a até 5 km de distância e 3 km de altura. 



No total, foram adquiridos 37 carros de combate Gepard, que virão para o Brasil até 2015. O material irá dotar as Baterias Antiaéreas das Brigadas Blindadas do Exército. Após esses primeiros testes, que somarão 2 mil tiros diretos, os Gepard serão distribuídos para unidades subordinadas à 6ª Brigada de Infantaria Blindada, localizada no Rio Grande do Sul, e também para a Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea no Rio de Janeiro.

Exército Brasileiro participa da Operação Hileia Pátria

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Desde o dia 20 de junho, o Exército Brasileiro, por intermédio da Força Tarefa Pátria Brasil, tropa constituída por Organizações Militares do Comando Militar do Nordeste, está participando da Operação Hileia Pátria na região noroeste do Maranhão.
O evento interagências foi instituído pela Presidenta da República, por meio do Decreto 7957, que regulou o apoio das Forças Armadas ao Gabinete de Gestão Ambiental, para atividades de proteção ao meio ambiente. 

A participação do Exército nessa Operação tem por objetivo prestar apoio logístico, de inteligência e de comunicações ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (IBAMA) nas ações de combate aos crimes ambientais e na redução do desmatamento ilegal.

Para alcançar tais objetivos, a Força Tarefa realiza, dentre outras atividades, “briefing” entre os integrantes do Comando da Força Tarefa e representantes do IBAMA e da Polícia Rodoviária Federal sobre as ações a serem desenvolvidas na Operação; reconhecimento aéreo da área de operações, empregando aeronaves do 2º Batalhão de Aviação do Exército; e escolta de comboio de viaturas e materiais apreendidos.



Em apenas cinco dias de operação, foram fechadas oito madeireiras, que tiveram suas máquinas e equipamentos desmontados e apreendidos, assim como recolhidos vários caminhões utilizados para o transporte das madeiras. 

Durante a Hileia Pátria, o Hospital Militar de Área de Recife desdobrou um hospital de campanha para atender aos militares e realizar ação social nas comunidades dessa região, oferecendo à população atendimento médico e odontológico.

Gabinete do Comandante do Exército promove viagem de parlamentares ao Comando Militar do Sul

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

De 27 a 29 de junho, o Exército Brasileiro desenvolve, sob coordenação da Assessoria Parlamentar do Gabinete do Comandante do Exército, projeto de divulgação das atividades realizadas pela Força Terrestre no Comando Militar do Sul, com ênfase nos Projetos Estratégicos do Exército, para parlamentares do Senado Federal e da Câmara dos Deputados.

A viagem que tem por objetivo difundir os Projetos Estratégicos GUARANI e PROTEGER, consta de visita às Organizações Militares situadas em Foz do Iguaçu e em Santa Maria, bem como apresentação das atividades mais relevantes desse Comando Militar de Área.

Durante a programação, estão previstas palestras com autoridades militares e civis e visita às Organizações Militares do Exército Brasileiro, da Força Aérea e ao Complexo Hidrelétrico de Itaipu.

A atividade conta com o apoio da Força Aérea Brasileira no transporte da comitiva para as guarnições a serem visitadas.
  • 27 de junho
Comitiva

Embarque da comitiva em Brasília

Desembarque da comitiva em Foz do Iguaçu

Desembarque da comitiva em Foz do Iguaçu

Visita ao 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado

Palestra sobre o Projeto Estratégico do Exército – PROTEGER

Apresentação do Blindado GUARANI

Apresentação do Blindado GUARANI

Visita ao Complexo Hidrelétrico de Itaipu

FAB participa de audiência pública em comissão do Senado

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

A Força Aérea Brasileira participou nesta segunda-feira (24/06) de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa do Senado Federal sobre a regulamentação para o uso civil, comercial e militar dos veículos aéreos não-tripulados. Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Polícia Federal e Comitê de fabricantes de vants da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança também debateram o assunto. Veja reportagem

O representante do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Major-Aviador Cyro André Cruz, apresentou as regras e legislação do espaço aéreo em vigência no Brasil para uso do sistema de veículo aéreo não-tripulado. “O vant voa em espaço aéreo segregado, onde é proibida a entrada de outra aeronave”, explica. O militar também abordou as principais questões técnicas e legais que envolvem o assunto atualmente no mundo e o esforço do grupo de trabalho da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) para consolidar o primeiro manual, previsto para ser lançado em 2014. 

Para a Senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), autora do requerimento da audiência, a comissão é o fórum adequado para discutir o assunto, que se populariza no mundo devido ao baixo custo e às inúmeras aplicações do vant, como monitoramento ambiental, de trânsito, patrimonial, de catástrofes e segurança pública, entre outros. “É uma tecnologia nova com muitas aplicações. E o mais importante de todo esse processo é o surgimento de uma indústria brasileira que vai assumir a responsabilidade de vender seus produtos para o mercado interno, enorme pela dimensão continental, e para exportar”, avalia a senadora. 

Atuação conjunta – Durante a audiência,  
Polícia Federal e FAB reiteraram a atuação conjunta no uso de veículos aéreos não-tripulados. Um exemplo recente foi a Operação Ágata, em que as duas instituições trabalham em conjunto a partir da base de São Miguel do Iguaçu (PR), na tríplice fronteira. "A Polícia Federal e Força Aérea Brasileira estão trabalhando para que o Brasil tenha mais segurança em relação às ameaças externas e internas”, afirma o delegado da PF, Wellington Soares Gonçalves.



Fonte: Agência Força Aérea

"Fizemos grandes missões em prol da vida", diz veterano homenageado

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

A Base Aérea de Campo Grande (BACG) celebrou nesta quarta-feira (26/06) o Dia da Aviação de Busca e Salvamento com uma cerimônia que encerrou também a XXV Reunião de Aviação de Asas Rotativas (RAAR), evento que reuniu esquadrões de helicópteros da Força Aérea Brasileira.
Presidida pelo Comandante do Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), Tenente Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, a solenidade foi marcada pela homenagem ao veterano do Esquadrão Pelicano, suboficial Hélio Ferreira Vallim. O militar participou da missão histórica que deu origem ao Dia da Aviação de Busca e Resgate.
Em 1967, a maior operação realizada pela FAB, até então, mobilizou trinta e duas aeronaves, durante dez dias, para localizar na selva Amazônica, um C-47 que transportava um pelotão de Infantaria da Aeronáutica. De 25 militares a bordo, cinco sobreviveram ao acidente. O suboficial Vallim foi o primeiro a avistar naquele 26 de junho os destroços da aeronave 2068. "Esta foi a primeira, mas fizemos grandes missões e grandes realizações em prol da vida", disse Vallim.
Durante a cerimônia realizada no hangar por causa do mau tempo, comandantes de unidades aéreas e ex-comandantes também foram homenageados com a medalha "Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura", ícone de operacionalidade.
Aos participantes da XXV RAAR, a II Força Aérea entregou o troféu eficiência aos pilotos e tripulantes que mais se destacaram ao longo do ano passado. "É uma forma de reconhecer a dedicação e a operacionalidade desses militares", explica o Comandante da II FAE Brigadeiro do Ar José Rodrigues de Alencastro. Ao longo de quatro dias, pilotos e tripulantes de helicópteros reunidos em Campo Grandeaprimoraram doutrinas, técnicas operacionais e debateram temas como segurança de voo e logística.
Participaram do intercâmbio operacional os esquadrões Falcão(1º/8º GAV), Poti(2º/8º GAV), Puma(3º/8º GAV), Pantera(5º/8º GAV), Harpia(7º/8º GAV), Pelicano(2º/10º GAV), Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS) além do Esquadrão Gavião(1º/11ºGAV). O Comandante do COMGAR lembrou que o uso de helicópteros em missões de busca e salvamento é fundamental. "As imagens dos helicópteros da FAB transportando vítimas do acidente de Santa Maria (RS) ainda estão na memória de todos", exemplifica o Brigadeiro Rossato. 


Fonte: Agência Força Aérea

Esquadrão Onça apresenta NVG para cadetes da AFA

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

O  Esquadrão Onça (1°/15° GAv), com sede em Campo Grande, ministrou no dia 20/06 uma palestra sobre o uso do equipamento de visão noturna na aeronave de transporte C-105 Amazonas para o Corpo de Cadetes da Aeronáutica, na Academia da Força Aérea, em Pirassununga (SP).
O Comandante da unidade aérea Tenente-Coronel Feijó apresentou a história do esquadrão e  os avanços tecnológicos alcançados nos últimos anos. No decorrer da palestra, o 1° Tenente Aviador Daniel Souza, instrutor de voo da aeronave, apresentou as particularidades, funcionamento do equipamento de visão noturna e a forma de emprego.


Fonte: SCS do 1°/15°GAV

Conferência reúne 17 comandantes das forças aéreas das Américas

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

Termina neste sábado (29/06) em Santiago, no Chile, a 53ª Conferência dos Chefes das Forças Aéreas Americanas (LIII CONJEFAMER). O evento reúne 17 Comandantes de Forças Aéreas de países membros e observadores do Sistema de Cooperação entre as Forças Aéreas Americanas (SICOFAA). “Mais que promover intercâmbio de capacidades e conhecimentos, a conferência constitui-se uma oportunidade singular para celebrarmos a amizade que nos une, reverenciando as ações realizadas para construir forças aéreas fortes, unidas e bem preparadas”, afirma o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito, durante discurso no encontro iniciado na última segunda-feira (24/06).


Fonte: EMAER

Departamento de Ensino da Aeronáutica realiza visita de inspeção na AFA

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
Fotos: S2 Wallid
A Academia da Força Aérea (AFA), localizada em Pirassununga, interior de São Paulo, recebeu entre os dias 26 e 28 de junho comitiva do Departamento de Ensino da Aeronáutica (DEPENS).

A comitiva, composta pelos oficiais generais Tenente Brigadeiro do Ar Dirceu Tondolo Nôro, Diretor Geral do DEPENS, Major Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira , Vice Diretor do DEPENS, por oficiais e graduados realizou visita de inspeção ao Hangar da Esquadrilha da Fumaça, ao Estádio Olímpico da AFA, ao Batalhão de Infantaria, ao Clube de voo a vela, à Subdivisão de Saúde, ao Cassino dos Sargentos, à Fazenda da Aeronáutica de Pirassununga e às vilas da unidade. A comitiva inspecionou ainda o Corpo de Cadetes da Aeronáutica.

O Departamento de Ensino da Aeronáutica - DEPENS – É o órgão responsável pela área de ensino. Administra e coordena as atividades de todas as escolas da Força Aérea Brasileira, com exceção do ITA, que é vinculado ao CTA.


Fonte: SCS/AFA

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Registre uma ocorrência direto de sua casa.

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com



           Agora você pode registrar uma ocorrência dentro de sua casa pelo site da Secretaria de Segurança Publica do Estado de São Paulo http://www.ssp.sp.gov.br/. A Policia Militar informa que algumas ocorrências policiais podem ser registradas via internet. Tal possibilidade dá uma maior amplitude na prestação do serviço publico visa a comodidade e facilidade ao cidadão paulista, além de permitir o racionamento de meios policiais, haja vista que as equipes policiais de serviço despenderão mais tempo no patrulhamento, nas abordagens, nas fiscalizações e, conseqüentemente nas prisões em flagrante, ocorrendo isso na medida em que tais policiais são desonerados do registro destes fatos que podem ser feitos pelo próprio cidadão.
Esta forma de registro conta com menus interativos, vídeos explicativos e notas com as dúvidas mais frequentes, permitindo que o cidadão confeccione Boletins de ocorrência das seguintes naturezas:

·               Ameaça (exceto se houver lesões corporais ou circunstâncias que se enquadram na Lei “Maria da Penha”)
·               Injúria, Calúnia, Difamação
·               Acidente de Trânsito sem vítimas,
·               Furto de veículos (casos de roubo, em que há emprego de violência, não são registrados eletronicamente)
·               Furto/extravio de placas de veículos
·               Desaparecimento e encontro de pessoa
·               Furto/Perda de documentos e celulares.

Os registros de furtos de objetos que não sejam documentos e/ou celulares não podem ser registrados eletronicamente. Os casos enquadrados como sendo da lei “Maria da Penha” exigem procedimentos policiais diferenciados e não serão registrados na Delegacia Eletrônica. São, basicamente, crimes contra mulheres, ocorridos na unidade doméstica (espaço onde as pessoas convivem), cometido por membros da família da vítima, ou por pessoa que tenha qualquer relação íntima de afeto e conviva ou tenha convivido com a vítima.
Há necessidade de o cidadão que fará o registro ter um email para contato. Não possuindo, deverá informar o email de alguém de sua confiança.
Nos casos de furto de veículo e desaparecimento de pessoa, em até 1 hora, um policial entrará em contato com a vítima para angariar maiores detalhes.

Validade
O Boletim Eletrônico de Ocorrência tem a mesma validade que o Boletim confeccionado presencialmente na Delegacia de Polícia. Os casos noticiados via internet serão investigadas pela delegacia da área onde os fatos ocorreram. Nota-se que o site proporciona um ambiente de fácil interação, com notas explicativas e vídeos interativos sobre o preenchimento, inclusive ressaltando sobre a questão da Falsa Comunicação de Crime.

Veículos

Quando do furto de veículo, é importante (além do registro do Boletim de Ocorrência) que a vítima entre em contato, com a Polícia Militar, via 190, o que possibilita, de imediato, que as patrulhas de serviço sejam cientificadas do crime mesmo antes da confecção do Boletim. Desta forma, sendo vítima deste crime, ligue 190, informe o local dos fatos e a placa do veículo e, havendo meios para tal, registre o fato eletronicamente.

Importante

Lembramos aos cidadãos que em casos de crimes mais graves, presença do criminoso no local e de notícia relatando o acontecimento do crime naquele momento (flagrante), o cidadão deve entrar em contato via 190, transmitindo a maior quantidade possível de informações, para que seja encaminhada uma viatura policial e dê o correto desfecho à ocorrência.


terça-feira, 18 de junho de 2013

Vant monitora jogo de abertura em Brasília

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

As imagens captadas pelo Vant (veículo aéreo não tripulado) da FAB foram utilizadas para monitorar o entorno do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, que sediou o jogo de abertura da Copa das Confederações no sábado (15/06). A aeronave sobrevoou por nove horas o local e transmitiu as imagens em tempo real para as autoridades do Centro de Coordenação de Defesa de Área (CCDA). Veja na reportagem.


Fonte: Agência Força Aérea

FAB intercepta aeronave suspeita em zona de exclusão aérea

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

  Agência Força Aérea/Sgt RezendeA Força Aérea Brasileira interceptou na tarde deste sábado (15/06), durante o jogo Brasil x Japão - na abertura da Copa das Confederações, uma aeronave suspeita que entrou na área de exclusão aérea por volta das 16h30. A abordagem aérea foi realizada por uma aeronave A-29 Super Tucano na região sul do Distrito Federal, distante 90 km de Brasília.
rota da aeronave de pequeno porte foi desviada e o destino modificado. Ao invés de Formosa (GO), localizada dentro da área branca, o avião pousou na cidade de Oriçanga de Abreu, divisa com a Bahia.
A ação foi acompanhada de perto na sala de controle no Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), ativada para operações reais. Militares da FAB, Marinha e Exército coordenam todas as aeronaves autorizadas para voar nas áreas restritas.
De acordo com o comandante do COMDABRA, Major-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, o caça foi engajado  Agência Força Aérea/Sgt Rezendepara realizar medidas de policiamento, como a identificação do tráfego e o motivo de estar voando numa área proibida. “O A-29 seguiu todo o procedimento previsto até a medida final que foi executar a mudança de rota e fazer a aeronave sair da área branca”, explica o oficial-general.
Em dias de jogos, de uma hora antes a quatro horas depois do início das partidas, são ativadas três áreas de segurança em torno dos estádios: uma branca, uma amarela e uma vermelha. Cada uma tem regras próprias. As restrições do espaço aéreo foram comunicadas por meio de NOTAM (aviso aos aeronavegantes) e do Guia prático de consulta sobre as alterações do espaço aéreo para a Copa das Confederações 2013, divulgado em abril.
“Este foi o caso de um piloto privado que não tomou conhecimento da área proibida para voo”, explica o comandante, que recomenda aos aeronavegantes a consulta das informações de tráfego aéreo, principalmente nas cidades-sede nos próximos 15 dias.
O piloto interceptado pode sofrer medidas administrativas. “Será proposto uma infração de tráfego aéreo por ter descumprido a norma estabelecida para o evento”, afirma o oficial-general.
  Agência Força Aérea/Sgt RezendeImagens em tempo real – Para a estreia da Copa das Confederações, a zona de exclusão aérea foi ativada às 13h30, uma hora antes da cerimônia de abertura. Dois Vants da FAB sobrevoaram a região de Brasília ao longo do dia captando informações e enviando em tempo real para o Centro de Coordenação de Defesa de Área (CCDA). As imagens da manifestação ocorrida momentos antes da abertura dos portões doMané Garrincha, por exemplo, foram acompanhadas pelas autoridades para decidirem sobre as ações adequadas.
Além dos Vants, duas aeronaves A-29 Super-Tucano, dois helicópteros H-60 Black Hawck e dois caças F-2000 Mirage de alta performance também sobrevoaram o local durante o período em que vigorou a zona de exclusão aérea.
“Estamos aqui preocupados com vários aspectos. Primeiro com a segurança das pessoas e da infraestrutura da Copa das Confederações, especialmente hoje aqui em Brasília. Ao mesmo tempo, garantindo que o trânsito aéreo no país inteiro se dê da forma mais normal possível”, avalia o Tenente-Brigadeiro do Ar Marco Aurélio Gonçalves Mendes, Comandante Interino da Aeronáutica.


Fonte: Agência Força Aérea

“Fase de Liderança Básica” é concluída na Esquadrilha da Fumaça

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com
Fotos: Divulgação/EDA
Encerrou-se na tarde desta quinta-feira (13), a “Fase de Liderança Básica” realizada pela equipe de pilotos do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), em Pirassununga (SP).
Esta é a quarta e última fase da primeira etapa de implantação da aeronave A-29 Super Tucano no EDA, chamada de “Etapa de Formação e Adestramento na Aeronave A-29”, que teve início em 1º de abril, com as aulas teóricas de Ground School.
O responsável pela doutrina e instrução no EDA, Capitão Aviador Ubirajara Pereira Costa Júnior, explica que esta fase sobre liderança consistiu em duas missões. A primeira missão foi a execução de acrobacias básicas, como, por exemplo, looping, trevo e barril. Já a segunda foi realizada para que o aluno pudesse liderar outra aeronave em procedimentos de pouso por instrumentos, simulando mau tempo.
O último piloto a participar do treinamento, no dia 13, foi o Capitão Aviador Marcos Mendes Conrado Veiga. “O treino foi importante para compreender as reações da nova aeronave e perceber quais são as diferenças entre o Super Tucano e o Tucano, avião que estávamos acostumados a pilotar”, comentou o Capitão.
A próxima etapa a ser iniciada tem o nome de “Desenvolvimento Operacional da Aeronave A-29 na Missão do Esquadrão de Demonstração Aérea”, com a primeira fase, “Definição de mínimos e parâmetros de segurança”, relacionada ao estudo da definição da altura mínima necessária para garantir a segurança nos voos à baixa altura. Devido aos treinamentos ainda estarem acontecendo, não há uma previsão de retorno da agenda de demonstrações da Esquadrilha da Fumaça.

sábado, 15 de junho de 2013

Velha guarda do Correio Aéreo Nacional inspira novas gerações

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

O Correio Aéreo Nacional foi responsável por desbravar rotas aéreas pelo interior do Brasil, reduzir distâncias e integrar populações. As histórias da velha guarda, como a do oficial-general de 94 anos, inspiram as novas gerações. Veja na reportagem:


Fonte: Agência Força Aérea

Grupo de Transporte Especial comemora 72 anos de criação

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com

O Grupo de Transporte Especial (GTE) celebrou (07/06) seu 72º aniversário de criação. A data foi marcada por uma solenidade militar que contou com a presença do Tenente Brigadeiro do Ar Juniti Saito, Comandante da Aeronáutica, entre outras autoridades civis e militares.
As festividades alusivas ao aniversário englobaram a realização de uma Taça Eficiência entre os militares do efetivo. O evento foi encerrado com um almoço comemorativo que contou com a participação do efetivo, integrantes veteranos e tripulantes externos.
Foi realizado, também, o Jantar da Ordem do Planalto, que nesta ocasião completou 20 Anos de criação. O objetivo é preservar as tradições, fortalecer a coesão grupal e compartilhar experiências e ensinamentos adquiridos ao longo dos tempos.
Neste ano foram homenageados o Coronel Reformado Renato Paiva Lamounier, oficial de operações do GTE no período de 1976 a1978 e o Comandante Geral de Operações Aéreas, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato.
Em 72 anos de existência, o GTE cumpre a missão de transportar as autoridades do primeiro escalão da república, bem como dignatários estrangeiros, realizando, ainda, missões de UTI aérea.

Fonte: SCMDO GTE

Foguete de Treinamento Intermediário será lançado nesta quinta em Alcântara

Renan Contrera
renancontrera@hotmail.com


O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realiza nesta quinta-feira (13/6) o lançamento do Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) como parte da Operação Águia I/ 2013. O objetivo é realizar o lançamento e o rastreio do foguete visando o treinamento operacional do Centro de Lançamento e, ainda, a obtenção de dados para qualificação e certificação do veículo. A operação Águia I/ 2013 é realizada pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) por meio do CLA e conta com o apoio da Agência Espacial Brasileira (AEB), do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), do Primeiro Comando Aéreo Regional (I COMAR), da Segunda Força Aérea (FAE II), da Capitania dos Portos do Maranhão (CPMA), do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) e participação de equipes do Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (1°/8° GAv) e do Terceiro Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação (3°/7° Gav).

A Operação Águia I/ 2013 teve início nesta segunda-feira (10/6) com um briefing para todas as equipes envolvidas com o lançamento. Durante a atividade todos os setores receberam instruções acerca do cronograma de atividades previstas, características do veículo a ser lançado, procedimentos de segurança, normas de qualidade, apoio logístico, dentre outras. O lançamento deve ocorrer no período da tarde e a expectativa é que o Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) atinja uma altitude máxima de 60 quilômetros e gaste 3min22seg até a queda no oceano. Este será o oitavo Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) lançado em Alcântara.

O Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) faz parte do Projeto Foguete de Treinamento (FOGTREIN) que tem por missão proporcionar treinamento operacional ao efetivo e testar a prontidão da infraestrutura dos Centros (CLA/CLBI) para lançamentos, exercitando as principais funções de comunicação, telemetria, rastreamento e gerenciamento dos procedimentos de segurança e comandos para lançamentos. Também faz parte do projeto o Foguete de Treinamento Básico (FTB) que é lançado tanto do CLA quanto do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI). O último lançamento realizado no CLA foi de um FTB em 23 de maio deste ano durante a Operação Falcão I/2013. 

Características do Foguete de Treinamento Intermediário (FTI)
Comprimento total: 5,5 metros

Comprimento motor-foguete: 3,3 metros

Diâmetro do veículo (calibre): 0,305 metros

Peso total do veículo: 500 Kg

Peso reservado para experimento: 30 Kg (não leva experimentos)

Altitude máxima aproximada: 60 quilômetros (com inclinação de 82° do lançador)

Tempo total de voo até dispersão na área de impacto (oceano): 204 segundos (3min22seg)
Fonte: CLA